Início

É o que resta

Demorei seis meses pra te esquecer e não quero passar por isso de novo.


“Vai querer lutar por nós ou desistir?” Foi o que disse.


Eu já sabia.
Sempre acreditei que poderíamos tentar trilhar um caminho juntos, mas tudo bem. Já não podemos seguir, já não somos mais os mesmos.
Te amei naquele tempo.
Naquele tempo!

Muito obrigado por tudo.
Posso contar aos viajantes que um dia amei e que amar vale a pena.
Vale muito!

Te desejo toda a felicidade do mundo.
Você é uma pessoa maravilhosa. Não se afunde em pensamentos cruéis.

Já entendi… nessa jornada, chegamos em tempos diferentes, com propósitos diferentes, mas amar, nos amar, mesmo distantes, mas respeitar em primeiro lugar.
Adeus!

E foi assim a despedida. Sem chances, sem felicidade, sem certezas e sem sentido.

Risos!

É o que resta.

Quem já se viu em uma situação semelhante, “a pessoa certa, mas na hora errada”? É mais comum do que imaginamos.

Francielle Cordeiro

Um comentário em “É o que resta”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s