Desenrola Cordeiro
Poemas

Play

Sonhos que vão e vem

Confusa procuro entender o que ser ou ter.

Atenta no caminho mais curto,

-Pois tenho pressa

Mas as estradas são estreitas e longas.

Ao lado um abismo profundo,

Curvas infinitas em um labirinto confuso e

Sigo sem rumo até algo encontrar.

A noite caí

O frio me abraça e

O tempo passa

O sol raiou

A luz em meu rosto ofusca minha visão

-Enfim caio em mim no replay do dia anterior.

Um DVD parado para continuação;

Um CD riscado travando a canção;

Um livro molhado e sem descrição;

Um fantoche manipulado pela omissão e

Não importa o tamanho da minha dor

O tempo passa e ele não cura

-Depende de você Cordeiro

Fugir não é uma opção, então apertei o play.

É um lindo dia hoje.

Francielle Cordeiro

6 comentários em “Play”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s