Poemas

Chuva de março

O sol? Não está em seu melhor dia;
O verde é da mata;
Nuvens que escondem o rei;
Terra vermelha vira barro;
Quero-quero se irrita ao seu ninho defender;
Terra firme e traiçoeira,
Na colônia, ameaça a indústria inteira e a rainha fica em estado de atenção.

Raízes fortes e vivas contra o tempo;
Bichos em alerta;
A libélula se desespera em voos inconstantes;
Nuvens se movem em instantes.

Como uma onda pronta para engolir e
Fazer fugir os andantes.

É lindo!
Vem com força para mostrar sua ira;
Purifica, mas também castiga;
Névoa opaca,
Só a gota realmente brilha.

O que é claro fica cinza;
O vento leva o que não se afirma;
O verde perde o tom e se mistura com o marrom.

Galho fraco enverga;
O tronco fixa o que quer ir;
O tempo passa e o rei se dispõe a assumir seu papel
e em instantes notamos que…
Tudo não passou de uma chuva de março.

Seja bem vindo Sol.

Aqui dessa varanda observei o quão linda é a natureza.
Todos têm seu papel;
Cada detalhe;
Cada contraste e
O respeito a cada um deles.

Francielle Cordeiro

Anúncios

15 comentários em “Chuva de março”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s